Grande Expediente

166

         Reunião Ordinária

         4 de janeiro

– O vereador Vivaldo Azevedo agradeceu a bondade de todos os vereadores e ressaltou que mesmo com opiniões e partidos diferentes, estaria lutando e fazendo o melhor para os 911 eleitores que o elegeram e por toda a população desejando-lhes um feliz 2021. Falou que tinha um sonho da área da antiga quadra esportiva do centro se tornar uma extensão da Policlínica, para a realização de exames e outros, pois sabia o quanto a população precisa da Saúde, e ressaltou a importância de se buscar emendas parlamentares para o município.

– O vereador Vinicius Hemetério ressaltou a importância de todos os colegas buscarem emendas parlamentares para o município independente da área. Lamentou o cancelamento, no dia 15 de dezembro, do convênio para reforma da Quadra do Caxambu Velho referente à emenda parlamentar, no valor de R$ 300 mil, destinada pelo deputado federal Newton Cardoso Júnior para este fim, considerando uma decisão equivocada. Explicou que tinha a documentação informando que o Executivo possuía o valor da contrapartida, R$ 8.239,61, para o recebimento de tal emenda. Comentou a existência de uma placa na quadra informando a data do início da obra em 14/11/19 e término em 14/11/20.

Recordou que em agosto de 2020, através de um requerimento, questionou o Executivo sobre o andamento da obra e se o período eleitoral não seria obstáculo, sendo informado que terminaria em tempo hábil, e que em 15/12/20 fora cancelada por motivo de falta de dinheiro. Citou duas obras executadas com recursos próprios do município, uma em frente da Policlínica, no valor de R$ 280 mil, e a outra, a quadra do Trançador, no valor de R$ 82 mil, além das diversas subvenções e contribuições financeiras que serão destinadas às entidades.

Explicou que ele não estava fazendo oposição e sim fiscalizando e cobrando o que era de direito e, por isso, pediu o apoio de alguns vereadores para questionarem o que aconteceu e quem sabe reverter o equívoco, pois a população do Caxambu Velho carece da quadra, bem como o Centro de Educação Infantil Caxambu Velho, pois é uma verba de R$ 300 mil para a reforma e cobertura da quadra, considerando contraditório a obra não acontecer, pois a prefeitura não tinha R$ 8 mil de contrapartida.

– O vereador Fábio Curi comentou que o colega Vinicius Hemetério comparou decisões administrativas citando a obra da quadra do Trançador. Explicou que a empresa vencedora da licitação pediu um realinhamento de preço para as obras da quadra do Caxambu Velho, no valor aproximado de R$ 150 mil, sendo assim, o Executivo entendeu que não era cabível pagar R$ 450 mil por uma obra acordada em R$ 300 mil. Reforçou que todos os vereadores devem buscar emendas parlamentares, mas dentro da realidade financeira estipulada de uma obra a ser realizada. Falou que acreditava na harmonia desta Casa, comprovada na composição das Comissões Permanentes. Recordou das indicações apresentadas por ele, como a recomposição salarial dos servidores públicos, e pediu que o Projeto de Lei fosse apresentado em breve.  Esclareceu que a obra da quadra em frente da Policlínica não teve alinhamento de preço, diferente da situação da do Caxambu Velho, que teve um alinhamento de preço em torno de R$ 150 mil, passando a contrapartida a ser de R$ 158 mil.

– O vereador Júlio Nogueira (Júlio da Corneta) reforçou a necessidade do atendimento de suas indicações pedindo a poda das árvores existentes nas laterais do Parque das Águas, pois correm o risco de cair no passeio, podendo machucar os transeuntes, bem como a de um eucalipto seco na BR-267 acima do túnel de acesso ao Alto Santa Rita. O presidente Alessandro Fortes (Sandrinho do Som) e o vereador Júlio Nogueira (Júlio da Corneta) sugeriram que todos os vereadores se reunissem com o prefeito para saber o motivo do cancelamento da reforma da quadra no Caxambu Velho.

– O vereador Osmar da Silva (Boé) ressaltou a dificuldade de conseguir uma emenda parlamentar e falou que ele também gostaria de saber o motivo da não realização da reforma da mencionada quadra. Demonstrou preocupação com o fim do pagamento do auxílio emergencial e com isso tanto eles quanto o prefeito seriam cobrados, sendo importante o trabalho para a geração de empregos e cobrou do Executivo mais empenho neste sentido.

– O vereador Dennis Renato Carneiro considerou de grande valia para o Centro de Educação Infantil Caxambu Velho, bem como para a comunidade, a citada quadra. Considerou importante a união e harmonia na Casa, o que reflete bem na sociedade. Reforçou a necessidade da geração de empregos e comentou que enviou um ofício ao deputado Ulysses pedindo o apoio dele para a abertura do portão lateral do Parque das Águas, para as pessoas apanharem água nas fontes. Opinou que durante as férias, os portões poderiam ser abertos às cinco horas da manhã.

– O secretário Arnaldo Ribeiro lamentou a falta de uma quadra coberta para os moradores do Caxambu Velho e falou que esperava uma justificativa bem plausível, pois tinha certeza de que o prefeito de forma verdadeira, clara e arrazoada em seus motivos retomasse a construção da obra. Desejou sucesso ao presidente Alessandro Fortes (Sandrinho do Som) na busca por geração de emprego na cidade, que precisa da soma de esforços de todos os vereadores.

– O vereador João Francisco salientou a honra de estar na Casa e reafirmou o seu compromisso não somente com os seus 569 eleitores, mas com Caxambu trabalhando incansavelmente pelo desenvolvimento da cidade em parceria com o Executivo. Expôs que fiscalizaria e trabalharia para toda a cidade, ressaltando o carinho especial pelo Caxambu Velho, e falou que também se inteiraria do que ocorreu de fato e que se não fosse o suficiente, apresentariam um requerimento ao Executivo para dar uma resposta à sociedade do ocorrido.

– O vice-presidente Nilton Américo avaliou que diante dos debates ocorridos naquela Reunião Ordinária, os vereadores estavam no caminho certo, fazendo os devidos questionamentos em prol da população e o mais importante, discutindo de forma democrática com harmonia. Comentou que foi procurado e questionado em relação à falta de emprego e que ele conversou também com o prefeito Diogo Curi sobre isso, pois com o término do auxílio emergencial, a situação ficará muito delicada e, com certeza, eles serão muito procurados e cobrados. Agradeceu aos colegas a escolha do seu nome para compor o Conselho Corregedor da Casa em 2021.

– O presidente Alessandro Fortes (Sandrinho do Som) comentou que trabalharia em parceria com o Executivo, com todos os vereadores, na busca de geração de empregos para que novas firmas se instalassem na cidade, mérito de todos eles. Recordou que estava exercendo o terceiro mandato e que já tinha percebido muita disposição dos vereadores em trabalhar e que isso foi demonstrado com muita clareza na primeira Reunião Ordinária, e reforçou a importância da fiscalização e das cobranças que precisavam ser feitas.